Em entrevista ao programa Cidade Notícias, da Rádio Cidade FM de Feira de Santana, na tarde desta quinta-feira (30), o deputado estadual Carlos Geilson (PTN) falou aos ouvintes do programa, ancorado por Denivaldo Costa e Magno Felzemburg, sobre diversos temas de interesse da população.

O bloco independente formado para atuar no próximo mandato foi colocado em pauta durante a entrevista. Além de Carlos Geilson, outros deputados estaduais eleitos no dia 5 de outubro pelo PTN, PRP e PROS começarão a atuar na Assembleia no dia 1° de fevereiro de 2015 de maneira independente, seguindo, portanto, suas próprias decisões em defesa da situação ou oposição em trabalhos no plenário e em comissões. “Vamos continuar com o mesmo trabalho sério”, declarou Geilson.

Ao ser questionado sobre o que a população de Feira de Santana pode esperar do seu novo mandato, Carlos Geilson reafirmou seu compromisso de ser coerente com o que foi apresentado durante sua campanha. “O povo de Feira pode esperar, acima de tudo, coerência e equilíbrio em nossos posicionamentos, numa visão mais voltada para a cidade do que uma visão política de ser oposição. Isso quer dizer que: aqueles projetos que eu entenda que são nocivos para a sociedade, com certeza terão uma oposição dura, de alerta à comunidade. E, quando o governo apresentar algum projeto favorável, terá o nosso apoio”, afirmou, citando como exemplo o apoio que deu ao projeto de ampliação do Centro Industrial do Subaé, do qual foi relator e que trouxe novas empresas para a cidade, gerando emprego e renda.

Um dos assuntos abordados durante a entrevista foi construção de um novo hospital regional e de uma nova maternidade em Feira. O parlamentar afirmou que continuará lutando na Assembleia Legislativa para que isso aconteça. Na oportunidade, Geilson ainda ratificou suas críticas à concessionária ViaBahia, que administra a BR 324 e abordou um tema de grande interesse da população que, segundo ele, foi pouco discutido durante a campanha presidenciável: a segurança pública. “Não se travou um debate como deveria. A violência hoje assusta. Convoco a sociedade para que ela não perca a capacidade de se indignar e cobre dos governantes mais ações de combate à violência”, pontuou o deputado.