Faltando pouco mais de um ano, ainda não são conhecidas as regras que nortearão as próximas eleições, pois os partidos não conseguem se entender sobre os pontos da reforma política em discussão no Congresso Nacional, reclamou o deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa da Bahia, nesta quarta-feira (20).

Ele observou que o único ponto definido até agora foi a rejeição da proposta de implantação do chamado distritão – sistema no qual são eleitos os candidatos a deputado e a vereador mais votados, independentemente do conjunto de votos obtido pelo respectivo partido.

Geilson lamentou a não aprovação do distritão, uma vez que ele seria uma etapa preparatória para a implantação do sistema distrital-misto, que ele considera mais justo.
“Depois, quando o Judiciário se posiciona, os deputados reclamam. Só que os deputados, que têm a obrigação de legislar não o fazem”, disse.

Segundo Geilson, ao fim de cada eleição os políticos sempre anunciam uma reforma política, mas que nunca ocorre, pois na hora de votar as mudanças ninguém se entende, o Congresso vira uma torre de Babel e nada ocorre.