Recentes manifestações de políticos, tanto da esquerda como da direita, pregando e incentivando a intolerância como prática política, foram condenadas pelo deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa da Bahia, nesta segunda-feira (5).

Ele se referiu a várias manifestações do deputado federal Jair Bolsonaro, autodeclarado candidato à Presidência da República, defendendo posições autoritárias, e também a recentes declarações dos senadores Gleisi Hoffmann e Lindbergh Farias, ambos do PT, sobre a suposta ocorrência de um banho de sangue no país caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva venha a ser preso.

Geilson chamou a atenção para um aspecto já estudado por demais pela ciência política: o quanto as posições dos radicais de esquerda e de direita acabam se encontrando na defesa do autoritarismo, da força e da opressão como solução política, conforme observou.

“Quero crer, contudo, que tais manifestações de radicalismo não encontrarão eco na maioria e que, ao final, prevalecerão o bom senso e os valores democráticos”, disse. “Definitivamente, banhos de sangue e fundamentalismo extremado não são os melhores caminhos para superarmos os nossos problemas”, acrescentou.