Menos de uma semana após a cúpula da segurança pública da Bahia festejar uma redução no número de mortes violentas no Estado, a Região Metropolitana de Salvador teve o fim de semana mais sangrento deste ano, disse o deputado Carlos Geilson (PSDB), em discurso na Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (8).

Geilson lembrou que na quarta-feira (2), o secretário da Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa, reuniu as cúpulas das polícias Militar, Civil e Técnica e do Corpo de Bombeiros Militar e anunciou que as estatísticas do órgão mostravam uma redução de 14,2% no número de mortes violentas durante os quatro primeiros de 2018, na comparação com igual período do ano passado – foram 1.993 casos em 2018, contra 2.322 no ano anterior.

“A festa, porém, durou pouco, pois o fim de semana passado foi o mais sangrento deste ano na Grande Salvador. Nada menos que 22 pessoas foram mortas a tiros na capital e nas cidades da Região Metropolitana, no sábado e no domingo passados”, disse o deputado.

Segundo Geilson, o recrudescimento da violência no último fim de semana, “só reforça a tese de que estamos vivendo uma verdadeira guerra na Bahia, resultado do avanço da criminalidade no Estado ao longo de quase 12 anos de governo do PT”.

“Infelizmente, uma guerra que o povo pobre da Bahia está perdendo, pois afinal suas maiores vítimas são os pobres, sobretudo os negros e os jovens da periferia das grandes cidades”, concluiu o deputado.