A Copa do Mundo não pode servir de biombo para manobras que visam o esvaziamento da Operação Lava Jato, disse o deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), neste sábado (30/6), referindo-se a decisões de benevolência tomadas esta semana por ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que abriram as portas da prisão e mandaram para casa alguns envolvidos em casos de corrupção.

“É preciso atentar que 84% da população brasileira aprova a Operação Lava Jato e defende a sua continuidade, segundo pesquisa realizada em abril passado pelo instituto Datafolha”, observou o deputado.

Ele disse que a suspensão ou o esvaziamento da maior operação de combate à corrupção realizada no país contribuirá ainda para aumentar a imagem negativa que a população tem dos políticos de modo geral, quando, na verdade, o fim da Lava Jato só interessa àqueles comprovadamente envolvidos nas irregularidades que estão sendo investigadas.