O trabalho de investigação realizado pela Polícia Civil de Feira de Santana, que culminou com a prisão de Gilma Dantas dos Santos, acusado de matar a adolescente Bruna Santana Mendes, de 16 anos, foi elogiado pelo deputado estadual Carlos Geilson (PSDB), em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (19/6).

Ele lamentou, contudo, o fato de Gilma, de 41 anos, não ter sido condenado antes pela Justiça, apesar de preso duas vezes, pela prática de crimes de estupro, na vizinha cidade de Conceição do Jacuípe.

“Se ele tivesse sido condenado na primeira vez, o segundo estupro certamente não teria acontecido. E a menina Bruna estaria viva. Se a Justiça não condená-lo agora, certamente ele continuará com sua carreira de crimes”, afirmou.

A garota desapareceu no dia 18 de fevereiro passado, após sair do Boulevard Shopping, e foi encontrada morta cinco dias depois. O corpo estava dentro de um saco em um terreno baldio no bairro Jardim Cruzeiro.

Confrontado com o resultado positivo do exame de DNA de Gilma e de material coletado sob as unhas da vítima, o acusado confessou o crime. Ele contou que tentou estuprar a garota e acabou matando-a, asfixiada, porque ela resistira à agressão. Depois colocou o corpo em um saco plástico e usou um carro-de-mão para levá-lo até um terreno baldio.